domingo, 29 de julho de 2012

Argentina

     Estive na Argentia e voltei apaixonada. São muitas as coisas apaixonantes por lá. No primeiro dia visitamos La Bombonera, o estádio do Boca Júniors (isso era prioridade pros meus dois loucos por futebol).    É encantador a forma como tudo por lá é direcionado às vitórias do time, desde a estrutura das arquibancadas até a posição do vetiário dos times visitantes. 
     Depois visitamos os bairros, começando pelo bairro do Boca, que é onde fica o estádio. Por lá é tudo muito colorido, desde as casas, as paredes grafitadas muito coloridas, as pessoas dançando tango ao longo das ruas, diversas exposições culturais e artesanais.
     Nos próximos dias visitamos os outros bairros mais conhecidos, o bairro de Palermo, lindo com suas belíssimas praças e parques e o inesquecível jardim japonês; o bairro Santelmo, que não tinha tantas atrações porque a feira que acontece lá é somente aos fins de semana; Puerto Madeiro, lindo bairro também, com o Porto e uma longuíssima e charmosa espécie de boulevard ao longo do canal. Visitamos as praças principais do centro e os monumentos, o Obelisco, a Casa Rosada, a Plaza del Maio...enfim, muitos pontos turísticos.
     A mim os argentinos pareceram muito cordiais, alegres, simpáticos e belos. Fiquei chocada por constatar que as mulheres argentinas não usam em seu cotidiano nem maquiagem, nem salto alto! 
     Adorei alguns fatos que observei na língua ( aliás, fiquei tão apaixonada pela língua espanhola que voltei decidida a estudá-la) : as abreviaturas: ud (vc) BsAs( Buenos Aires). Verifiquei que não é tão difícil assim a comunicação com eles, é só uma questão de ritmo, porque muitas palavras que não são as mesmas que as nossas têm alguma analogia com coisas daqui.
     Outra coisa que daria um capítulo à parte é o espetáculo de tango. Quando assistimos a um deles, podemos sentir a força da sensualidade dos argentinos, é realmente espetacular.
     No entanto, nem tudo foram flores. Os argentinos ainda têm muito a aprender em termos de ambiência: a arquitetura dos prédios é belíssima, antiga, porém muito mal cuidada; as ruas do centor são sujas, eles não têm o hábito de utilizar as lixeiras e jogam seus lixos pelo chão ( por isso têm essa mesma atitude quando visitam nossas praias), é realmente chocante. Os homens, embora muito educados e galantes, são visivelmente machistas, o que é um paradoxo num país que tem como ídolo nacional Evita Perón e como presidente uma mulher.
     Falando em Evita, tivemos a sorte de visitar o país justamente na semana de 60 anos de aniversário de morte de Evita. Houve manifestações do povo em frente à Casa Rosada e diversos documentários na televisão sobre os últimos dias dela (coisa que não assistiríamos aqui no Brasil).
      Tivemos sorte também porque justo no período em que estivemos por lá estava acontecendo a Rural, que é a Expointer de lá e pudemos visitá-la, muito legal.
     A Argentina parece estar, em diversos aspectos, pelo menos uma década atrás do Brasil, isso em coisas que leigamente pude observar. Nas farmácias lá ainda são usadas aquelas balanças analógicas, com ponteiros!
     Bom, fico por aqui com Buenos Aires, estive também em Montevideo, mas essa é outra história.

Nenhum comentário: